Idade legal para namorar

Garotas menores de idade contam os prós e os contras de seus namoros com homens maiores.. Veja o que diz a lei: ENTRE 14 E 17 Com 14, 15, 16 e 17 anos, a lei diz que os (as) adolescentes têm capacidade de consentir com a transa. Portanto, se for consentido, o (a) adolescente pode transar mesmo que o (a) parceiro (a) seja maior de idade A morte da namorada do jogador de futebol Rafael Silva, da Portuguesa, levantou dúvidas sobre a natureza da relação entre os dois, já que Rafael tem 20 anos e a garota Flávia de Lima tinha ... No dias de hoje, as mulheres solteiras procuram combinar da melhor forma possível a sua vida pessoal com a profissional, isto porque a sociedade actual implica uma gestão de tempo extremamente eficaz, para que estas mulheres dividam o seu tempo entre estudos, trabalho, viagens, amigos, família e na esperança de encontrar a sua cara metade.. Porém, muitas destas mulheres solteiras procuram ... Acho que a idade certa para namorar é quando já se tem responsabilidade e ‘cabeça’ para viver todo esse tempo, tão bom que é o Namoro! Comecei a namorar com 16 anos e estou há quase dois anos com meu namorado!Hoje com 18 anos, sei que fiz certo em não querer namorar antes e me guardar para o meu namorado e futuro marido(êêê)! Idade para namorar lei. ... Parece-nos que faz sentido que se estabeleça uma mesma idade para actos de aproximada dignidade e responsabilidade, dos quais depende o destino de uma sociedade, para além de se obedecer a maior coerência na lei, no que se refere à idade. ... Assim, só a vítima ou o seu representante legal goza do direito de ... Feliz dia dos Namorados para quem tem idade para Namorar Que o Brasil é considerado um dos países mais sexy do mundo, não é novidade para ninguém, agora o que talvez você não saiba é que toda essa sexualidade atinge bem em cheio nossa sociedade. Em síntese, e para finalizar: não há o certo e o errado quanto a idade certa para namorar. Existe, sim, a maneira mais legal e prazerosa de fazer isso. Para tanto, os mais experientes podem ser a melhor fonte de consulta. Já houve tempo que os pais estipulavam 15 anos para as meninas e 18 para os meninos, embora o controle maior fosse com relação às meninas. Algumas obedeciam, mas para outras, o jeito era namorar escondido. Hoje, ainda há recomendação, porém sem muito rigor. Mas, realmente há ou não a idade ideal para emplacar o primeiro namoro? Solteiros da terceira idade buscam o amor online Se você é daqueles que pensa que só os jovens procuram alguém para dar “match” na internet, com certeza está muito enganado. Os mulheres e homens acima de 40 anos têm entrado com tudo no mundo digital, aquela história de que o universo virtual é um quebra cabeça para os senhores e senhoras de mais idade está totalmente ultrapassada. Qual é a idade certa pra namorar? Tenho recebido diversos comentários e e-mails sobre o namoro cristão e na maioria não sei a idade das pessoas. Muitas vezes não há maturidade para assumir um relacionamento e qndo surge um problema a atitude dos pombinhos não é das melhores.

Garotas mais novas estão se atraindo por mim

2020.09.11 18:39 Enscie Garotas mais novas estão se atraindo por mim

Opa pessoal, eu tenho 24 anos, mas não aparento... Não sou virgem e tal...
Ultimamente tenho notado que garotas mais novas no meu bairro, entre 14 e 18(apenas uma) tem se atraído por mim... (Vejo olhares, os moles, abertura para conversa, ai pergunto idade e vaso... kkk)
Mas eu me sinto desconfortável com moças mais novas, sei que após 16 pode rolar namoro se os pais permitir e sexo se ela consentir... Mas me senti quebrando uma lei ou violando a menina se for menor, sendo sincero me sinto melhor se tem mais de 21, fico mais tranquilo. Mas talvez oq sempre me relacionei com gente mais velha, minha Ex 26, e antes dela mulheres de 27, 38 e 40 anos.. E não sei se namorar uma jovem de 16 ou 17 seria legal mano... E nem sei os gostos e tal.. me sinto perdido... o que vcs podem dizer sobre isso?
Eu quero namoro sério, fidelidade e querer estar comprometido com o crescimento mutuo...
submitted by Enscie to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 05:33 marcel22bala Posso a me tornar um incel

Texto grande a vista ...
Há algumas semanas , caiu a minha ficha do porque eu não ter muitas amigas e acho que isso deve pelo fato de que toda vez que eu tinha o intuito de conversar com uma garota era porque tinha segundas intenções ( namoro , sexo ) , isso me deixou devastado até porque umas das boas amizades que cultivo muito , proveio destes interesses...
Eu me desenvolvi num ambiente muito masculino , era todo dia bricando com os meus primos , os garotos da rua e na escola tbm . No meu circulo social não havia uma garota , eu não as a via como alguém que você fazia amizade mas sim alguém para namorar . Eu não achava que era possivel garotos da minha idade conversar com uma garota apenas pra ser amigos , era tudo uma questão de algo a mais .
Isso seguiu até o meu EM , onde graças ao universo eu pude sair da minha bolha de only male friends para garotas também . Mas ai foi tudo muito estranho " como essa garota ta conversando comigo e não quer nada comigo ?? "Ou deu atenção pra mim " sera que ela quer algo comigo ? " . Ao longo do tempo essas perguntas foram recorrentes . E nas elucidações que eu tive ainda no EM é que o motivo de eu ter vergonha pra conversar com garotas é que eu queria algo a mais ( quando eu tento transparecer algo que não sinto de vdd uma hora acaba saindo pela culatra ) , quando eu era legal , gentil com elas - com as garotas que eu tava interessado - era sempre pra ter algo em troca ( namoro ...) .
Acho engraçado , você deve ter pensado agora " vish é daqueles altos proclamados "niceguys". Sim , reconheço que fui um , mas não aqueles que vc vê no niceguys , mas aquele que reconhecia que estava sendo legal pra ter algo em troca ( n , eu não xingava mulher na net apesar de que participava de grupos de shitpost , que esse tipo de coisa era recorrente ) , mas no fundo , bem lá no fundo eu sabia que era simplesmente uma fucking OBRIGAÇÃO ser gentil , educado com as pessoas em geral !
Anteontem e ontem vi dois videos da ContraPoints que falava sobre homens e incel e caralho me senti mal pra porra de achar que eu posso chegar no nivel de um incel fudido . Isso me deixou desesperado
Namoral só queria poder tefazer amizades com garotas sem que essa nóia de segundas intenções aparecesse . Uns pode achar normal mas quando a luz da segunda intenção acende pra toda garota que tu comprimenta , conversa acho que isso é algo anormal . Atualmente estou tentando mudar ...
Obrigado , se leram até aqui ! Tenha um bom ( quando estiverem lendo isso aq )
submitted by marcel22bala to desabafos [link] [comments]


2020.08.13 05:22 Na4te Enfim, apenas uma história que me marcou

Bom, eu tô afim de ouvir a opinião das pessoas a respeito desse acontecimento marcante na minha vida.
Diga oque você acha e oque talvez eu deveria ter feito.
É bom avisar q falo a respeito de sentimentos aqui, ADOLESCÊNCIA sabe como é né.
E como eu tenho vergonha de falar isso ao meus mais próximos eu conto a vocês.
Eu sempre fui uma pessoa avessa a relacionamentos, achava q nunca ia namorar ou me casar, Mas uma única pessoa me fez desejar isso.
Aos 8 anos de idade conheci uma garota que tinha tudo pra ser uma simples menina, apenas alguém que eu realmente esqueceria no futuro. Era uma menina beeem tímida e falava baixo, o único contato que tive com ela nesse ano foi apenas de ler e um texto junto com ela e nada mais.
Aos 10 anos reencontrei com ela novamente, porém nada de interessante ocorreu então, vamos pular alguns anos.
Depois de ter mudado de cidade e retornar aos 14, entrei em uma escola que nem queria por causa do meu primo, mas acabei gostando e por lá fiquei. A mesma garota estava lá nessa escola, continuava circunspecta e misteriosa. De vez em quando eu e ela trocávamos algumas palavras, mas nada de demais não chegavam nem a ser uma conversa.
Porém mais pro final do ano eu comecei a reparar muito bem nela, observava a maneira dela der ser oque me causou uma curiosidade.
Eu reparava que as vezes ela ficava me olhando discretamente, mas acho q era pq ela se sentia desconfortavel pelo fato de eu estar observando as vezes.( nada doentio)
Mas havia algo q só pensei depois, por exemplo, reparei que quando as pessoas apresentavam um trabalho ela normalmente não ligava, e ficava distraída com alguma coisa, mas quando eu ia apresentar ela prestava a atenção em mim, SÓ em mim.
Um ano depois aos 15, pouco depois das férias de julho.(agora que a merda aconteceu) Eu a vi sentada sozinha e fui falar com ela, afinal, eu a conhecia há anos e nem fazia ideia de quem ela era, só sabia o nome apenas. Conversamos durante umas 2h seguidas, com um papo muito irado que com certeza iria durar mais se tivéssemos tempo. Foi aí que eu reparei que todo aquele tempo havia uma garota incrível ali perto e nunca tinha "notado".
Eu senti algo que nunca havia sentido antes (paixão), eu passei a adimira-la apenas quando eu realmente descobri quem era aquela garota dos cabelos escuros e silenciosa.
Para a minha decepção, um amigo meu me disse " Eu quero tentar algo com a xxxxxxx!", e oque eu fiz? Nada! Apenas disse " Tenta! Ela é interessante." Eu notava uma possível reciprocidade( não sei se foi coisa da minha cabeça ), ela puxava assunto comigo coisa q não era comum dela fazer com outras pessoas, tinha uma coisa q eu fazia q ela odiava, mas relevava. Por vezes esse meu amigo estava tentando conversar com ela, mas não seu por que ele não conseguia, ela simplesmente ignorava ele e começava a conversar comigo.
(Esse meu amigo não sabe disso até hj)
E por fim, para não acabar com o "esquema" dele, eu me afastei dela com pesar no coração, mas me afastei. Acho q ela percebeu a minha distância e também resolveu deixar isso quieto. Mas o problema é que eu ainda continuava gostando dela, pra caralho. Observei que as vezes esse meu amigo tentava se aproximar, mas ela sempre recuava coisa q comigo não acontecia.
Também coloco parte dessa culpa em mim, afinal, se eu tivesse dito a ele oque queria talvez isso não teria acontecido , e também sempre fui muito tímido e reservado oq fez eu não falar nada pra ela oque realmente sentia.
Na verdade, acho q a culpa é toda minha!
Enfim, no final esse meu amigo desistiu dela e foi "caçar" outra pessoa, mas aí já era tarde demais pra mim. Eu não queria sair como o fura olho nem nada do tipo.
Quando ele já não queria mais nada, acho q ela já não sentia algo por mim ( se é que já chegou a sentir). Daí pra frente foi só ladeira a baixo, descobri coisas que me magoaram MUITO, acho q não é legal entrar em detalhes. E aos meus 16 anos minha mente e meus sentimentos estavam fodidos, e foi aí que eu saí daquela escola por motivos de trabalho mesmo, se não eu teria ficado. Mas algo que me atormentou bastante é que pouco tempo depois q eu saí eu vi ela colocando relacionamento sério com um garoto no Facebook, até hj não sei se foi brincadeira dos dois ou se foi real, mas aquilo doeu MUITO.
Hoje já se passaram mais de 1 ano e 2 meses que nem sequer vejo ela(por sorte ou por azar), mas eu ainda gosto dela, me sinto um otário por isso pq a maioria das pessoas q eu conheço supera algo do tipo em 3 meses ou no máximo 5.
Se tiver se perguntando, é... ela já sabe oque eu sentia , um boca aberta falou. Ela soube em fevereiro, desde então nem mensagem eu mandei mais.
Eu não sinto raiva dela, muito menos desse meu amigo. O único q eu realmente tive raiva foi de mim mesmo.
(Eu não me apaixonei por ela com apenas uma conversa, foram várias.) É bom dizer esse detalhe
Enfim, se você leu até aqui, caso queria opinar ou me dar um conselho fique a vontade. ;)
submitted by Na4te to desabafos [link] [comments]


2020.08.12 15:44 sairennorebi Fui a babaca por contar a história de como eu e meu marido nos conhecemos? #Turmafeira

Oi Luba, editores, possível convidado virtual, gatas, papelões sobreviventes e turma que está a ver, quero muito participar por que preciso saber se eu fui a babaca na história.
Bom Luba, eu tinha uns 18 anos na época e minha amiga a mesma idade que eu, vamos chama-la de Karla para não expor. Nós éramos melhores amigas desde crianças. Somos da mesma igreja e, após eu ter um término com meu ex namorado entrei pra um dos grupos que tinha na minha igreja que ela participava. Assim que eu entrei reparei em um rapaz que também fazia parte e logo eu dei uma desculpa para pegar o número dele e começamos a conversar cada vez mais, vamos chamar ele de Carlos. Um tempo depois que estávamos conversando comecei a gostar dele e como eu e a Karla éramos melhores amigas eu fui contar pra ela. Quando contei ela disse que também gostava dele mas que não tinha tido coragem de chegar nele. A questão é que a Karla realmente é mais tímida que eu, mas ela conhecia ele antes de mim e não tinha me falado nada. O clima ficou meio tenso por um tempo e eu até pensei em me afastar do Carlos, afinal não queria perder a amizade dela, mas um tempo depois, quando as coisas estavam começando a ficar mais normais, Calos veio me falar que o melhor amigo dele estava gostando da Karla, vamos chama-lo de Tiago e que queria saber como chegar nela. (Ps. Carlos descobriu que eu e a Karla estávamos gostando dele pela mãe do Tiago, ela era líder desse grupo da igreja que participávamos.) Tiago também era muito tímido então não tinha muita coragem de chegar na Karla mas com algumas dicas ele conseguiu e os dois se aproximaram. Eu e o Carlos começamos a namorar e pouco tempo depois a Karla e o Tiago também, o que era bem legal por que saíamos juntos e éramos um grupo de melhores amigos. Tenho que deixar claro também que Tiago, com o passar do tempo começou a dar sinais de ser meio babaca com a Karla, como fazer ela sair de um emprego que ela estava ganhando muito bem pra ir pra outro que ela ganharia salário mínimo só porque no primeiro ela tinha que ir super arrumada pro trabalho (era corretora de imóveis), isso por que ela ainda está não era formada e tinha que pagar sua própria faculdade por que os pais dela não tinha condição, enquanto ele era formado e não trabalhava e ficava o dia todo em casa jogando.
Passaram-se anos nesse meio termo e Carlos e eu começamos um relacionamento a distância por que ele foi estudar medicina em outro país, e mesmo assim continuávamos juntos e com uma relação muito boa. No último ano, eu já tinha 22 anos, estava nas férias e Carlos estava comigo e fomos no aniversário da irmã de Tiago (ela era muito minha amiga e do Carlos também) e tinha outra amiga nossa lá, vamos chama-la de Larissa, ela veio me contar que tinha começado um relacionamento e que tinha começado meio errado e que tinha sido muito complicado e que estava com medo de por ter começado errado dar tudo errado (detalhe eu estava noiva do Carlos nesse dia e já estávamos próximo do casamento). Com ela me contando isso resolvi contar pra ela como foi o começo do meu relacionamento com o Carlos e como foi difícil porque eu tinha uma amiga que gostava dele, mas eu troquei todos os nomes e não expus ninguém, para mostrar pra ela que as vezes começa difícil como forma de provação pra ver o quanto as pessoas se gostam mesmo, mas que no final podia dar certo. O problema foi que a Karla e o Tiago estava perto e eu não vi, ela escutou tudo e ficou muito puta comigo. Fiquei sabendo depois que o Tiago tinha brigado muito com ela, falando que ele tinha sido o resto, que na verdade ela queria ter ficado com o Carlos (eles já tinham mais de 3 anos de namoro), sendo que ele sempre soube do começo da história, até por que foi a mãe dele que contou tudo pro Carlos. Resumindo ela ficou muito brava comigo e hoje não olha nem na minha cara, detalhe, eles eram nossos padrinhos de casamento e depois disso tivemos que achar outro casal às pressas por que estava perto do casamento. Durante a briga eu disse pra ela que ela estava deixando o Tiago decidir tudo da vida dela inclusive quem ela seria amiga e por isso ela estaria se afastando de mim, mas ela diz que eu inventei toda aquela história e que ela nunca tinha gostado do Carlos, sendo que tem outros amigos nossos que viveram esse momento conosco e sabem que é tudo verdade.
Atualmente estou casada com o Carlos e estamos vivendo muito feliz com ele no Peru (onde ele faz medicina). Ela continua o relacionamento com o Tiago e até onde eu sei ele está morando em outra cidade mas ainda controla cada movimento dela, não deixando ela ter amigos que ele não queira e nem fazer nada que ele não deixe. A mãe dela (muito amiga da minha mãe) detesta o Tiago e tudo que ele tem feito com a filha dela, que antes era uma menina feliz e alegre, agora vivia triste e chorando.
Então, eu fui a babaca por ter contado a história de como eu e meu marido nos conhecemos para uma amiga?
submitted by sairennorebi to u/sairennorebi [link] [comments]


2020.08.06 18:04 Yumi-Mochizuki Sou a babaca por não ter tirado minha amiga de um relacionamento tóxico?

Olá Luba, Editores, possível convidado e para todos os animais plantas e átomos que estão lendo ou assistindo, não sei porque não sou vidente.
Bom, essa história é recente, então não tem um final mesmo, apenas...não sei, a parte 1? Porque pelas circunstâncias, parece que ainda vai continuar, mas espero que não continue e quero que aconteça isso com ninguém, então antes de começar quero falar que saiba que nunca, NUNCA incentive aqueles tipos de namoros entre pessoas mais novas com pessoas muito mais velhas, não quero que ninguém, NINGUÉM cometa o mesmo erro que eu, mas cometi ele sem saber dessa parte, então, antes também de namorar, saiba pelo menos a idade do seu parceiro.
Então, faz alguns meses atrás que isso aconteceu, eu jogava um aplicativo que vou chama-lo de CarlsApp (só pela história começar por ele já posso ver que eu sou a babaca por ter ido pra lá) estava eu andando por umas salas de conversa até entrar numa sala onde conheci 5 pessoas, mas iremos focar em 2, vamos chama-los de Rainara, a garota, e Carls, o garoto, conheci Rainara e Carls, pensa numas pessoas legais, engraçadas e fofas, foi assim que pensava dos 2, estávamos conversando de boa nós 6, ficamos super amigos, principalmente Carls, Rainara e eu, ninguém ali se conhecia pessoalmente, todo mundo morava em parte diferente do Brasil, e Carls morava no Japão, então basicamente éramos amigos da internet, tudo de boa, saudável até aí, passou alguns meses e descobrimos que Carls e Rainara se gostavam, muito fofo pra todos nós, um cara legal com uma garota legal, muito fofo, passou umas semanas, e vimos que Carls pediu a Rainara em namoro, mas ninguém sabia se ela tinha aceitado, porque ela estava na dúvida, uma galera incentivava, pra mim estava no "algo de errado não está certo" mas como não via nada de mal então pra mim tanto faz, passou um tempo e comecei a ver que Carls estava dando em cima de mim, fiquei surpresa e ao mesmo tempo fiquei muito sla, não sei dizer, não gostava dele, não sabia muita coisa e muito menos não sabia se a Rainara tinha aceitado, e se sim? Eu não queria ser uma amiga má e corresponder o mesmo que o Carls fazia, perguntei pra ele como forma de mudar assunto (pois tava ficando muito doido o assunto e tava muito na cara que ele estava dando em cima de mim e tava só piorando) se a Rainara tinha aceitado, ele falou que ela não tinha aceitado, tinha ficado triste mas pelo menos tinha eu falando com ele, não estava convencida e ao mesmo tempo fiquei "cara, ele gosta de mim?" Como não sabia de nada , fui perguntar pra Rainara e ela falou que sim, ela tinha aceitado namorar ele, então eu falei logo o porquê tinha perguntado, e ela riu no início e depois pareceu chateada, mas no final da conversa ela simplesmente falou " normal, é o jeito dele", mano, e vamos de corna mansa, porque ele até falou depois que ele tinha até recebido nuds de umas outras garotas e começou a dá mais em cima de umas meninas, inclusive de mim, fiquei enojada porque ele fazia aquilo mas quando ele via ela falando com uns caras ele não gostava, ele ficava super no "você não me ama" e tals, passado umas 1 ou 2 semanas, tudo "normal" tinha ido assistir TV com meus irmãos, até que vi que minha mãe pegou meu celular enquanto tava lá assistindo, ela viu meus desenhos no cell, os vídeos que eu estava vendo, minhas mídias, super de boa até que ela viu minhas conversas, ela ficou chocada especificamente com a conversa minha e do Carls, ela começou a me dá sermão de que esse cara tava dando em cima de mim, era um cara nojento, concordei com minha mãe, pensávamos do mesmo jeito em relação a ele, então ela falou pra eu bloquear ele, e como uma boa filha, obedeci, não sei se foi uma escolha correta, mas isso foi o suficiente pra ver que Carls era muito pior que um namorado que corna minha amiga. Alguns dias depois, vi que o Carls e a Rainara, tinham me bloqueado, o Carls eu já sabia o porquê, mas a Rainara não, fiquei desesperada, pois ela era muito legal e gostava de falar com ela, então é aí que surge mais 2 pessoas, meus dois melhores amigos, vou chama-los de Zarls e Karls, Zarls falou que era melhor deixar ela com o relacionamento dela com o moço, porque se ela fosse minha amiga de verdade ela não teria me bloqueado, mas falei que tentaria mais uma vez e foi o que eu fiz, infelizmente minha última carta foi voltar pro CarlsApp, até ali não tinha mais voltado pois estava sofrendo ataques de pessoas que nunca vi na minha vida (uns seguidores do Carls) e aquele lugar me trás lembranças ruins, mas voltei pra tentar falar com a Rainara, ela não me bloqueou lá e falei com ela e a mesma disse que o Carls tinha ameaçado ela dizendo que se ela não me bloqueasse, ele não iria mais falar com ela, porque se ela amasse ele ela faria isso e tal (ou seja, outra chantagem) então eu resolvi falar pra ela que isso que estava acontecendo não é normal, que isso estava ficando super ruim principalmente pro lado dela, depois lembrei de um fato que fazia com que isso ficasse pior ainda, ela tinha 14 enquanto ele tinha 18, tipo, ele era maior de idade e ela estava num meio desse tipo de relacionamento com 14 ( outro fato que acredito eu que seje a parte que mais me fez ficar longe dele, foi que ele disse uma frase que me faz querer apertar o pescoço da pessoa que fala isso: " idade é só um número", " cara, tô nem aí, meu primo tem 35 e namora uma menina de 13, de boa, idade não impede o amor") Tentei convence-la ao máximo mas ela disse que amava ele, ele a amava, "quem sabe que eles se encontrem, aí viram um casal de verdade" (sim, ela realmente disse isso) e um monte de coisas desse tipo, pedi ajuda pros meus 2 amigos, o Zarls falou mais uma vez pra deixar ela, que quando ela perceber ela vai ver que fui uma boa amiga e que eu tentei ajudar mas ela não quis ouvir, já Karls falou pra ela tomar no c* e que era pra ela ser mais feminista e menos burra (concordei demais com ele), ouvi o Zarls e não falei mais com ela, desde então não tenho mais notícias relacionadas a o casal, o Carls tentou falar comigo no app mas decidi que nunca mais entraria lá. Todo mundo que eu falo e participou da história está bem, o Zarls está feliz por ter me ouvido e meu deu todo o apoio pra me ajudar a superar essa história, Karls ficou triste por eu não ter mandado ela tomar no c*, mas ele foi um grande amigo como sempre e também me deu muito apoio, minha mãe está feliz por eu ter parado de falar com o casal, ela ainda faz o mesmo sermão e fala pra eu aprender com isso e pra mim ela foi uma mãe muito incrível como sempre, pois sem ela eu nunca teria visto o quão tóxico ele era e o quão falsa e burra era a Rainara, mas a história não acaba assim, se não, não teria colocado no,título " eu fui a babaca?" Enquanto eu assistia a turma-feira, vi que a Rainara me desbloqueou e está tentando voltar a falar comigo, sinto que não desejo falar com ela, pois depois disso tudo, tenho a mínima vontade de querervoltar a reviver a história, meus amigos já falam que é melhor não, que isso só vai piorar, mas sinto que ainda não fiz nada pra ajudar e que ela pode está precisando da minha ajuda, mas mesmo depois desse pensamento, bloqueei ela, pois não quero mais falar com ela, não quero mas voltar a falar com os dois, nunca mais quero ver esses dois, mas as vezes me pego pensando que isso tudo aconteceu por minha causa. Será que na verdade eu fui a babaca dessa história? Tudo isso aconteceu por causa de mim ou não? Gostaria muito que vocês me falassem, então foi isso minha gente, muito obrigada por ler.
Caso queira ler isso também: Sei que isso tem nada haver com o " eu fui o babaca?" Mas gostaria de dá uma moral, nunca namore virtualmente? Sempre conheça a pessoa antes de namorar essa? Cuidado com quem você fala? Obedeça seu pai e sua mãe? Não! Bem... Sim, mas essa não é a moral, a moral é: nunca entre nesses aplicativos de falar com pessoas virtualmente usando personagens como aquele, sempre dá errado, se você namorar alguém por lá, você está destinado a ser corno.
submitted by Yumi-Mochizuki to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.15 22:06 henrrriq Oi luba, turma e outros. Essa é uma história longa de como eu sou um babaca idiota.

Essa história é sobre como eu, Henrique, conheci o meu "amigo" Ferreira (è o sobrenome dele) e como acabei com ela. Então, essa história começou em 2015 eu estava no sexto ano do ensino fundamental era meu segundo ano na escola já que eu e minha família tínhamos nos mudados a alguns anos e eu já tinha estudado em alguma outras escolas da cidade então nesse ano eu não conhecia muita gente pois era muito tímido e chato ( e a maioria dos alunos eram muito bagunceiros) ate que eu conheci Paulo ele também era muito quieto, mais do que eu, aproveitei que ele era parecido comigo fiz logo amizade e apos uns dias descobrir que ele tinha outro amigo o tal do Ferreira ele tinha um porte físico mais forte do que muitas outras crianças da nossa idade e era bem esportivo, me perguntava vezes como eles eram amigos mas logo deixava pra lá, o Ferreira era de outra sala, mas da mesma série, ele era bem inteligente, ate mais do que eu e olha que minhas notas eram só 9 e 10 então comecei a admira lo e me inspirar nele não de uma forma ruim claro, com isso viramos amigos "típicos", coversavamos todos os dias e tal uma amizade normal
Eu tinha esquecido de descrever o Paulo ele é o mais baixo do grupo era mais cheio tinha um black que usa ate hoje e ele é moreno só que mais claro pois quase não sai de casa então ele é meio amarelo.
Com os passar dos anos começamos a falar com outras pessoas que já estudavam conosco como Myrella que foi a única menina a falar com a gente ate o oitavo ano, (se eu não me engano foi nasse ano que eu começei a ser um pouco babaca), esse meu amigo Paulo tinha perdido a mãe a alguns anos antes de nôs conhecemos, ele me contou isso lá na sétima série e eu fiquei preocupado de inicio, mas ele demonstrou que sabia lidar com a perda na época ele foi uma grande inspiração ate hoje pois eu tinha muito medo de perde meus pais pois eles viviam brigando e já tinham se separados algumas vezes, entretanto eles estão juntos hoje com todas as disavenssas ( não sei come s escreve ) e tals, contudo nesse mesmo ano teve o desfile de 7 de setembro que nunca é no 7 de setembro e foi o meu primeiro desfile só que tinha um problema nenhum dos meus amigos queria ir pois achavam chato então dei a louca para convencer um deles para ir comigo ate que fiz o Paulo concordar em ir junto, tudo certo ate o dia, nada demais tinha acontecido, até que começamos a andar e eu tava do lado dele e lembrei de uma piada bem de mau gosto que era assim "qual a diferença do Rexona era sua mãe é que o Rexona nunca te abandona agora a sua mãe não" e sem pensar duas vezes falei para ele e sim eu só me toquei quando já tinha terminado de falar, ele olhou para mim e disse: tá tanto faz, eu fiquei sem palavras não conseguia falar nada nem olhar pra ele e o desfile tinha acabado de começa então fiquei calado todo o tempo e no final disse tchau para ele e fui embora na velocidade da luz com a minha mãe que foi para me ver e que estava me achando extranho por causa da pressa toda e eu dizendo que era só estava cansado, jurava que ele no dia seguinte não falaria mais comigo, mas mesmo assim quando chegou, falei "oi boa tarde" e ele respondeu, eu achei que era só por educação, então os dias foram passando ele continuava falando comigo e eu sempre me culpava por te feito tal coisa e nunca conseguir pedir desculpas, mas sempre fiz de tudo para ele ser feliz e sei que vacilei algumas vezes, mas o que tudo indica é que ele não ficou com mais raiva de mim. Nesse mesmo ano foi quando eu começei a questionar a minha sexualidade (e ate hoje questiono), então no nono ano nosso ultimo ano naquela escola nosso grupo cresceu de três pessoas, eu, Paulo e Ferreira para nove pessoas quais são: Myrella, Rebeca, milla as mais importante para a história, como disse eu estava questionando minha sexualidade e disse para mim mesmo que era bissexual e queria dizer para meus amigos, mais só para Ferreira, Paulo e Myrella já que eramos amigos a mais tempo, então escrevi uma carta esclarecendo tudo para que eles soubessem, mas quando chegou o dia fiquei com medo do que eles iam pensar, fiquei nervoso e segurei o papel a tarde toda ate que na hora do recreio estávamos nós quatro juntos no momento certo para entrega a carta mais fiquei imerso nos meus pensamentos com medo de que eles não me aceitassem, então distraído Myrella pegou o papel da minha mão e perguntou o que era aquilo e eu entrei em Pânico então comecei a gritar "não, não é nada me devolve" rindo muito pois tenho esse probleminha, só que eles acharam que era brincadeira e queriam saber mais ainda o que era então eu desistir e sai correndo não consegui ficar ali, passou o tempo do recreio e tínhamos que voltar para sala e eu estava com muito medo do que ia acontecer então quando entrei na sala todos estavam lá olhando para mim, e a minha cadeira era bem no meio deles todos fui de cabeça baixa, sentei e de cabeça baixa fiquei até que a Mirella veio e perguntou se era verdade, e eu disse que era, já começando a lacrimejar e eles disseram que tá tanto faz e continuaram a serem meus amigos e eu fiquei tão aliviado até que um dia a nossa sala tava sem aula mas ficamos na sala e a Mirella chegou em mim e perguntou se eu gostava de alguém e eu inocentemente disse que não e ela duvidou como as outras pessoas que estavam lá dúvidaram também pois tinha respondido com um tom de mentira (não sei pq) então ela chegou bem perto de mim e perguntou de novo então eu olhei para a sala e vi Ferreira e o encarei, ela percebeu e ficou surpresa e eu confirmei (não sei porque), ela prometeu não contar para ninguém e eu acreditei, contudo com o passar dos meses, Milla me pergunta se é verdade que sou bissexual e se gosto de Ferreira e eu nego tudo e ela diz que eu estou mentindo já que foi Mirella que disse, então eu não consegui arrumar uma boa desculpa e não vi saída até que o prof chega e eu vou para a minha cadeira e fico com raiva de Nutella pois ela prometeu que não ia contar, mas no fundo eu sabia que seria mentira então não liguei muito, porém parecia que eu realmente estava me apaixonando pelo Ferreira naquela época ele era lindo, era forte, era cavalheiro e era super legal comigo até que um dia nós estávamos no recreio e tinha acabado o horário e tínhamos que voltar, mas tinha uma escada gigante (devia ter uns 50 a 60 degraus) e nós não queriamos subir (tinha uma rampa, mas era do outro lado da escola ) então eu falei por falar para Ferreira pra me levar nas costas dele e eu achando que ele ia negar fui subindo normalmente até que Myirella, Milla e Rebeca ficaram pedindo pra ele me levar e ele encurralado disse que sim e eu não estava acreditando que elas fizeram isso mesmo então quando percebi ele estava na minha frente se abaixando pra que eu subisse nele e foi o que eu fiz até que ele pegou nós meus braços e os segurou bem forte fazendo com que eu ficasse encostado nele com o meu nariz bem no seu pescoço fazendo com que eu sentisse seu delicioso cheiro peculiar e tocasse seus cabelos tão sedosos fazendo com que "certas coisas ficassem sem controle e cutucando sua costa, sorte minha que já estávamos na sala e ele me deixou em cima da mesa do professor e agradeci e corri pra meu lugar sem que ninguém percebesse (eu sei que ele sentiu pois ele ficou estranho quando aconteceu) depois disso fiquei querendo dizer que eu gostava dele mas nunca tive coragem até que no fim do ano passado consegui o número dele pois todos foram para escolas e períodos diferentes, então ele perguntou de quem eu gostava (ele pegava o mesmo ônibus que mas sempre estava dormindo ou ele ou eu então quase não nos falamos) pois o pessoal com que eu estava comersando uma amizade sabiam que eu gostava dele e ficavam falando indiretas em voz alto no ônibus para que ele ouvisse e parece que ele tinha ouvido, então eu perguntei se ele não sabia de verdade ele disse que não e eu então falei que era ele e foi daí em diante que eu criei uma ilusão de que ele ia me dá uma chance mas era só coisa da minha cabeça (trouxa) pois ele tinha começado a namorar uma das nossas amigas a Rebeca e eu percebi que fui feito de trouxa por mim mesmo, por causa disso fiquei meio deprê e acabei depositando essa falsa esperança em um outro cara mó nada vê e fui feito de trouxa outra vez por mim mesmo DENOVO, enfim parei de falar com eles e já tinha perdido o contato com todo mundo pois tinham roubado meu celular antigo, mas consegui encontrar com o pessoal com o decorrer do ano mas não era a mesma coisa e eu não liguei já tava nem ai pra isso e então começei a questionar se eu gostava de homens de verdade (e ainda estou questionando), então nesse início de quarentena o Ferreira conseguiu meu número novo e voltamos a nós falar junto com o pessoal do nosso grupo só que não durou muito tempo e paramos de nos falar novamente então fiquei lembrando de tudo, e fiz uma conta falsa e peguei uma foto que ele postou recentemente só de sunga e fiquei falando coisas terríveis para ele como para quem é essa sunga é pra karls para tarls ou para zarls e ele defendeu tanto a mim quanto a todos os outros que eu citei, e eu chingei, e falei coisas terríveis sente ele, e todos até de mim e percebi que eu sou um monstro que só penso no meu lado e que não mereço a amizade de uma pessoa tão boa quanto a dele.
Espero um dia poder contar tudo para ele e me desculpa
Foi isso luba espero que me não me odei
submitted by henrrriq to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.13 15:03 Yunna_sata Quando eu namorei um Nice guy que tentou ir além dos limites

Olá Luba, editores, Tuxo, seres visíveis e invisíveis, e turma que está a ver.
Essa é uma das histórias que quando eu me dei mal em um relacionamento. São 4 anos de história, por isso ficou grande, mas tenham paciência comigo.
Minha história é a seguinte. Estávamos no início de 2016, eu tinha 12 anos e estava no 7° ano, eu tinha acabado de mudar de escola. No terceiro dia de aula peguei uma conjuntivite horrível e fiquei mais de uma semana de atestado (já começou tudo ótimo). Mais ou menos em abril conheci duas pessoas do 1° ano do ensino médio (a escola deles fica literalmente descendo a rua). Eles me apresentaram a mais dois garotos, um que não precisa ser mencionado e o dito cujo que vamos chamar de macho. Naquela época meus pais era muito preocupados e eu tinha sido ameaçada por um grupo de garotas (depois conto essa história) então sempre que eu pegava o ônibus ou estava chegando eu tinha que avisar meus pais. O macho (que tinha 17 anos nesse ano) perguntou minha operadora e pediu meu celular emprestado pra ligar para a namorada dele, eu emprestei. Ele ficou lá uns três minutos falando com ela, então me devolveu. Na semana seguinte ele me contou que ela tinha terminado com ele. Mas não foi um término normal, ele olhava pra QUALQUER coisa e falava "isso me lembra a Elly" (vamos chamar ela assim). E isso já estava me irritando, mas não falei nada. Então um certo dia decidimos começar a ficar, podia ser bem normal se eu não soubesse que ele estava me usando para esquecer a Elly, mas eu nem me importava pq eu meio que também estava querendo esquecer um forte acontecimento na minha vida (tem relação com as meninas que queriam me bater). O macho não aceitava ser contrariado, ele ficava me mordendo e dando tapinha leves no meu rosto, mesmo eu falando várias vezes que odiava isso, sempre que podia ele falava que a Elly botou 5 chifres nele, além de que ele ficava tentando passar a mão no meu corpo. Quando íamos completar 3 meses só ficando, ele simplesmente me largou e disse que tinha voltado pra Elly, achei super estranho, mas tá neh. Vamos para 2017, eu tinha me afastando um pouco do macho, estava com um novo grupo de amigos, muito melhor ainda por cima. Conversávamos as vezes só por mensagem. Na semana do meu aniversário de 14 anos ele foi me ver (se eu não me engano, nesse ano meu aniversário foi no domigo) então na segunda ele foi me ver [meu aniversário e dia 18 de junho (Quinta que vem ♡) e o melhor amigo dele faz aniversário dia 19] nós ficando e tal. Umas semanas depois descobri que no dia 18 ele tinha pedido uma garota em namoro, então no 19 que eu fiquei com ele, ele estava lá pleno traindo a nova namorada dele, que por consciência tinha o mesmo nome que a ex que "chifou" ele. Em 2018 as coisas estavam bem entranhas, mas nada fora do "normal". Eu tinha conhecido um garoto (vamos chamar ele de Felipe) incrível no meu curso, e eu estava cada vez mais encantada por ele, como o metal que atrai o imã. Mais ou menos nas férias de meio de ano eu decidi me isolar de todos, ou quase todos, eu só conversava com a minha família e com Felipe. A maior parte do meu tempo eu ficava assistindo anime e contando as história pro Felipe, estávamos numa vibe muito boa, e eu já estava suspeitando que estava apaixonada por ele. Até que um dia quando eu estava maratonando meus animes o macho me manda mensagem, por educação respondo 3 horas depois. Ele sempre ficava me mandando várias mensagens me atrapalhando, e se eu demorasse para responder ele ficava putinho. Ficou nisso por alguns dias, eu o ignorava, pq eu estava focada numa pessoa bem melhor. Como em todas as férias, fui pra casa do meu primo, então eu estava lá tranquila fazendo altos nadas, até que um ser começa a me ligar, o macho não parava de implorar por atenção, dizia que falar com ele era a coisa mais importante que eu tinha pra fazer. Mas eu podia ficar babando pelo meu crush, acho isso mais legal. Até que o macho cansa de implorar por atenção e diz que quando voltar as aulas vai me ver. E assim ele fez, no primeiro dia após as férias ele vai lá na escola me ver. Foi ate que legalzinho falar com ele na entrada até que ele tentou me beijar. Quando ele fez isso eu simplesmente entrei na escola. Na saída eu estava com dois amigo o Ron e a Rachel, até que encontramos o macho (ele foi me buscar '-'), subimos até o ponto de ônibus onde os meus maravilhosos amigos me deixaram sozinha com o macho. (Acho que alguém vai ficar com raiva) Ele simplesmente me prenssou na parede e começou a me beijar e a passar a mão em mim, para tentar escapar eu tentava empurrar ele, que se apertava cada vez mais a mim, e já que ele estava me beijando eu tentava morder o lábio dele na esperança de machucar. Eu vi que meu ônibus estava vindo então eu corri pra sair de perto dele. Dentro do ônibus eu briguei com a Rachel dizendo que foi errado ela me deixar sozinha com o macho escroto. Chegando em casa lá estava ele me mandando mensagens, eu falei que aquilo foi errado e que eu poderia denunciar ele por tentativa de abuso. Ele disse que eu claramente estava gostando, que eu deixei ele super excitado, que eu era o amor da vida dele. E falou várias coisas do tipo. Eu joguei na cara dele tudo que ele fez comigo desde 2016, que ele já tentou várias vezes me levar pra cama, que ficava passando a mão no meu corpo, me seguiu até em casa, me mandou fotos do pinguliroliro e que agora tentou abusar de mim em um ponto de ônibus LOTADO. Ele simplesmente ignorou tudo que eu disse é falou que estava querendo entrar pro exército. Eu falei que ele podia ir com a culpa de ter quase abusado de uma menor de idade, ele só riu e disse que foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida e que ele me ensinou a beijar e blá blá blá. Eu bloqueie ele. Em setembro de 2018 eu comecei a namorar o Felipe e estamos juntos até hoje (1 ano e 9 meses). Mas a história não acaba por aqui. Em 2019 eu vou pro primeiro ano, era a mesma escola que o macho estava estudando (reprovou duas vezes no ensino médio e uma no fundamental), o Felipe e a Elly também estudavam lá. Eu era do turno vespertino e todos os outros do matutino, mas o macho sempre esperava eu chegar pra poder ir embora, nem meu namorado fazia isso. O Macho ficava me perseguindo para todos os lados, até que finalmente foi pro exército. Como eu fazia parte do integral eu conseguia ficar mais tempo com o Felipe que também era do integral, até que um dia conheci a Elly (ela tambem era integral), e viramos amigas (o macho escroto sempre dizia que nunca nos daríamos bem), um dia estávamos conversando e eu contei tudo que o macho escroto me dizia sobre ela, inclusive sobre os chifres. Ela me contou que era tudo mentira e que na verdade ele era um cara super abusado, que já tentou forçar ela a fazer coisas várias vezes, e ela também me disse que tem até denúncias contra ele na policia. O ano passou e cultivamos um ódio múltiplo pelo macho escroto, até que ele pareceu lá na escola e me pediu perdão. Ele acha que eu aceitei, mas fazer o que. Esse ano recebemos a notícia que ele iria sair do exército e voltar pra escola, mas não sabemos pq começou a quarentena.
Link para os prints: (http://Prints "Quando eu namorei um Nice guy que tentou ir além dos limites" https://imgur.com/gallery/i4Jrk1U)
Obs: não achei todos então pode estar meio confuso.
submitted by Yunna_sata to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 15:24 powerblownjob MEU NAMORADO É UM PSICOPATA

Olá Luba, editores, papelões, gatas, possível convidado e turma que esta a ver. Sou gaúcha e na época da história tinha 14 anos (hoje tenho 15), teria uma festa na casa de um dos meus amigos, então fizeram um grupo para podemos conversar sobre a festa. Tudo normal até que um menino, irei chamar de Karls (na época ele tinha 17 anos), me chamou para conversar, então a gente começou a conversar normalmente por alguns dias, então em uma bela hora ele me disse que tinha tesão por pés e que qria uma foto dos meus pés, achei muito estranho então disse que estava desconfortável sobre isso. Relevei esse fato e continuamos a conversar, um ou dois dias depois ele me chamou para ir no shopping com ele, como não sou boba nem nada pedi se podia chamar uma amiga minha e o namorado dela para ir junto pois tinha medo de que ele possa me sequestrar e fazer sabão. Então chegou o dia. Foi muito legal nos conversamos e tudo mais. Então fui para casa e começou a maluquice toda. Ele começou dizendo que queria ir no cinema assistir um filme comigo mas dessa vez ele disse q era para eu ir de calça legging, achei estranho mas não dei muita bola, dias depois fomos no cinema (e eu não fui com legging), aconteceu uns beijinhos e tals. Quando cheguei em casa conversamos mais um pouco então ele disse assim: "Quando começarmos a namorar vou pedir para o meu tio fazer duas alianças com os nossos nomes", então eu pensei "Bah me fudi". Dei a desculpa que era muito cedo pra isso etc etc. Uma semana depois ele foi lá em casa, ficamos assistindo filme e ele jantou lá. Depois disso ele pediu para mim se ele podia escolher as meias que eu iria usar em cada dia, e claro eu disse não pois achei doideira. Logo após isso ele pegou o número da minha mãe (que tinha 55 anos), então ele com uns papos que estava com saudade de conversar com ela pessoalmente, que ele poderia ir lá em casa e fazer massagem nos pés dela. Que poderia fazer carinho, então disse o seguinte: " Nossa as vezes eu tenho vontade de namorar uma pessoa mais de idade sabe" (ele disse essas coisas em vários dias). Então minha mãe me disse que ele estava dando em cima dela e me mostrou as mensagens e realmente estava. Então eu terminei com ele. Mas mesmo assim ele continuava conversando comigo e com ela, mas eu já estava sendo grossa para ver se ele se tocava. Ele dizia que queria dormir lá em casa mesmo que já tivéssemos terminado, falava isso para minha mãe também, um dia pediu se nós poderíamos ter uma amizade colorida, mas eu sou santa e não faço essas coisas. Pedia também se a gente poderia se ver, e caso acontecesse se ele poderia ficar tocando nas minhas coxas e me abraçando. Então dei o ponto final nisso e bloqueei. É isso lubixco espero que tenham gostado dessa história do meu primeiro namorado, desculpe estar grande mas eu resumi bastante. Bjsss > ou =30.
submitted by powerblownjob to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 03:34 powerblownjob MEU NAMORADO É UM PSICOPATA

Olá Luba, editores, papelões, gatas, possível convidado e turma que esta a ver. Sou gaúcha e na época da história tinha 14 anos (hoje tenho 15), teria uma festa na casa de um dos meus amigos, então fizeram um grupo para podemos conversar sobre a festa. Tudo normal até que um menino, irei chamar de Karls (na época ele tinha 17 anos), me chamou para conversar, então a gente começou a conversar normalmente por alguns dias, então em uma bela hora ele me disse que tinha tesão por pés e que qria uma foto dos meus pés, achei muito estranho então disse que estava desconfortável sobre isso. Relevei esse fato e continuamos a conversar, um ou dois dias depois ele me chamou para ir no shopping com ele, como não sou boba nem nada pedi se podia chamar uma amiga minha e o namorado dela para ir junto pois tinha medo de que ele possa me sequestrar e fazer sabão. Então chegou o dia. Foi muito legal nos conversamos e tudo mais. Então fui para casa e começou a maluquice toda. Ele começou dizendo que queria ir no cinema assistir um filme comigo mas dessa vez ele disse q era para eu ir de calça legging, achei estranho mas não dei muita bola, dias depois fomos no cinema (e eu não fui com legging), aconteceu uns beijinhos e tals. Quando cheguei em casa conversamos mais um pouco então ele disse assim: "Quando começarmos a namorar vou pedir para o meu tio fazer duas alianças com os nossos nomes", então eu pensei "Bah me fudi". Dei a desculpa que era muito cedo pra isso etc etc. Uma semana depois ele foi lá em casa, ficamos assistindo filme e ele jantou lá. Depois disso ele pediu para mim se ele podia escolher as meias que eu iria usar em cada dia, e claro eu disse não pois achei doideira. Logo após isso ele pegou o número da minha mãe (que tinha 55 anos), então ele com uns papos que estava com saudade de conversar com ela pessoalmente, que ele poderia ir lá em casa e fazer massagem nos pés dela. Que poderia fazer carinho, então disse o seguinte: " Nossa as vezes eu tenho vontade de namorar uma pessoa mais de idade sabe" (ele disse essas coisas em vários dias). Então minha mãe me disse que ele estava dando em cima dela e me mostrou as mensagens e realmente estava. Então eu terminei com ele. Mas mesmo assim ele continuava conversando comigo e com ela, mas eu já estava sendo grossa para ver se ele se tocava. Ele dizia que queria dormir lá em casa mesmo que já tivéssemos terminado, falava isso para minha mãe também, um dia pediu se nós poderíamos ter uma amizade colorida, mas eu sou santa e não faço essas coisas. Pedia também se a gente poderia se ver, e caso acontecesse se ele poderia ficar tocando nas minhas coxas e me abraçando. Então dei o ponto final nisso e bloqueei. É isso lubixco espero que tenham gostado dessa história do meu primeiro namorado, me desculpe ser tão grande mas eu resumi bastante ksksks. Bjsss > ou =30.
submitted by powerblownjob to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.28 08:51 _mandamendes_ O fatídico ano de 2018

Olá Luba, editores, gatinhas(lindas❤), papelões mortos e, para constar, saudades Tuxo❤
Bom, tudo começou em 2016. Eu e minha amiga Bia (nome fictício e, para constar, tinhamos 12 anos de amizade) mudamos de um colégio particular para um público. Conhecemos novas pessoas, concretizamos nossa turminha de amigos e embarcando no 1º ano do ensino médio. Me aproximando dessas pessoas novas, meus horizontes foram se expadindo e comecei a enxergar melhor as coisas que estavam acontecendo a minha volta. Várias pessoas se aproximaram de mim e começaram a me questionar sobre como nossa amizade era estranha, porque eu defendia ela demais e ninguém via ela me defendendo na mesma intensidade. Aí eu dizia "vocês não conhecem ela direito", "é o jeito dela", "ela tem essa casca grossa, mas é uma manteiga derretida". Mas ao mesmo tempo comecei a pensar "será que eles tem razão e eu tô fechando os meus olhos para algumas coisas?". Nesse momento comecei a debater mais com a Bia sobre as coisas que ela fazia e dizia(claro que de uma forma bem tranquila do tipo "ei! Calma aí kk"), coisa que nunca fiz antes. Então cada vez mais fui percebendo que ela mudou e seus "princípios"(não é bem essa a palavra que eu queria usar, mas enfim kkk) também mudaram desde que ela começou a namorar e ter amizades diferentes das que ela tinha antes.(algumas que eu mesma não gostava) Em 2017 começamos a nos estranhar cada vez mais. Comecei a sentir o peso nas costas saindo gradativamente cada vez que eu falava alguma coisa que me incomodava. Começou a rolar algumas intrigas e fofoquinhas que nem sei se são verdade até hoje, mas que não levei em consideração na minha decisão final e não me lembro com certeza para dizer aqui. Terminamos o esse ano meio estranhas uma com a outra. O ano é 2018 agora, ano da formatura do terceirão. Muitas expectativas, ansiedade e um guri. (Pois é. Mas calma que o macho foi uma gota d'água em um copo transbordando). Nas primeiras impressões, ele era incrível. Engraçado, divertido, bobalhão, escrevia poemas, era bem gatinho e era super gente fina comigo. No fim, acabei gostando dele (e acho que foi o primeiro cara que eu realmente me apaixonei, tanto por eu não ter sentido nada igual quanto por eu ter aquele lema de que "Gostar é atração. Paixão é fechar os olhos para os defeitos e ver apenas as qualidades. Já amor é enxergar os defeitos e as qualidades e estar junto mesmo assim"). Me declarei, achando que fosse recíproco, mas recebi um "não é uma Friendzone, mas não sinto a mesma coisa". Depois de me afastar e me reaproximar, decidi que não ia mais me arrastar por ele, que eu ia mandar no meu sentimento e seríamos só amigos. Mas nesse meio tempo ele foi se aproximando das minhas amigas, em especial da Bia. Tanto que ele começou a cantar ela de leve na minha frente e tudo mais. Aos poucos as peças foram se encaixando e eu fui percebendo as intenções dele (e que ele me usou de DUFF como no filme) e pensei "coitada da Bia, não se deu conta". (não ri, eu era muito ingênua) Uma semana antes dos próximos eventos, ela foi na minha casa(mesmo que nós ainda estivéssemos nos bicando, porque eu pensava "é só uma briguinha passageira). Me olhou e perguntou "tu ainda gosta do Pedro(nome fictício do guri)?" e eu "olha amiga, eu estou dizendo que não para os outros e pra mim mesma, que é para me convencer que é verdade". Ou seja, ficou nítido que eu gostava dele ainda e que tava tentando me convencer do contrário. E ela rindo e mordendo os lábios no celular em uma conversa de whatsapp. (Já viu, né) Ao contrário do que eu pensava, acredito que eles já mantinham um contato pelo whats e que já estavam assim desde muito antes. No frio de junho, fomos para a casa de um amigo fazer um trabalho(eu, a Bia e o Pedro). No caminho, eles já vinham meio que perto um do outro, conversando ao pé do ouvido (e eu achando que era normal, porque ao contrário de mim ela não tinha muito problema em dar um certo espaço para os caras). Chegamos na casa desse meu amigo e eles estavam deitados um no colo do outro no sofá, rindo, olhando no telefone... (Nesse momento eu já tava catatônica tentando assimilar o que tava acontecendo). Quando esse meu amigo e o Pedro saíram, eu perguntei pra ela o que tava rolando e ela disse "não sei, mas espero muito que role algo". Juro, eu queria correr pra minha casa e chorar. Só não fui por causa do trabalho e porque eu não decorei o caminho de volta para à rua principal kkk, se não eu tinha ido mesmo. Me lembro de pouca coisa a partir daí, só sei que fizemos o trabalho e que quando cheguei em casa corri para o meu quarto e chorei horrores que até os meus pais não sabiam o que fazer e nem o que estava acontecendo.(eu costumo chorar, mas naquele dia eu gritava de dor. Como se o meu mundo tivesse desmoronando). Bom, para concluir: 12 anos de amizade com uma pessoa que praticamente me fazia levar as emoções dela e as minhas nas costas, que eu considerava uma irmã, que eu amava muito e considerava pra caralho, que eu confiava, que eu queria levar pra vida, mas que não me tratava de uma forma tão legal nos últimos anos, que lembrava de mim apenas quando precisava de ajuda ou de um ombro amigo e que não ligava para o sentimento dos outros. Não estou dizendo que nossa amizade foi 100% esse efeito vampiro, como eu chamo(ela sugava as minhas energias de uma forma que PUTA QUE PARIU). Teve seus altos e baixos, mas nunca achei que acabaria ou que ela mudaria de tal forma que mudasse o caráter dela. Para tu ter uma ideia, estávamos planejando morar juntas e conquistar a nossa independência. Ela posava na minha casa, e eu na dela, dês dos 9 anos de idade. Até hoje penso em perdoar e abraçar ela de novo, mas ainda dói muito e tenho que pensar em mim primeiro. Inclusive foi isso que eu aprendi, temos que nos amar mais do que aos outros(não ao ponto de ser um nice guy kkk) e nem sempre a pessoa vai retribuir o mesmo bem que tu faz pra ela. Alguns podem achar que é besteira, mas amigos são uma família que adquirimos ao longo do tempo e é doloroso descobrir que algumas pessoas não são o que tu achou que fosse. Beijo Lubixco ❤ e desculpa o textão kk Ps: quero que tu saiba que nessa época eu assistir os teus vídeos me ajudou muito a voltar a sorrir um pouco perante essa loucura e espero que tu saiba que tu é muito importante para muitos nós por esse motivo.
submitted by _mandamendes_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.01.14 21:29 99kyle99 Minhas desilusões amorosas. (Tinder)

Senta que o texto é grande.
Tudo começou num chat de um site qualquer. No início do ano passado conheci um cara que parecia ser muito legal (todos parecem no início) era inteligente, amoroso, divertido e ainda era músico. Só que sempre quando a gente discutia, ele parava de falar comigo e me bloqueava no Skype. Eu sempre insistindo pra gente conversar e eu me explicar. Demorou pra eu largar ele de mao, mas passei a pensar bem pouco nele.
Um mês depois baixei o Tinder. Vários matches, mas um em "especial" chamou minha atenção, o cara tinha a mesma idade que eu, gostava das mesmas coisas que eu, enfim, começamos a conversar mas também tinha que fazer minhas coisas, tinha minhas responsabilidades então não era sempre que eu estava respondendo, só que isso começou a incomodar ele. Então, ele disse que já que eu não poderia dar minha atenção total a ele, não queria nada. Desfez o match.
Ok. Passaram-se alguns dias. E lá estava eu de novo, nao desinstalei o Tinder. Dei match com um cara. Era inteligente, bonitinho e gostava de super-heróis. Pensei " Porra. É o homem da minha vida". Conversávamos todos os dias sobre várias coisas, e eu fui me apegando, e de repente o maluco começou a sumir. Primeiro a desculpa era que o celular tava ruim, depois que ele estava muito ocupado, mais tarde... Não teve desculpa. Ele sumia por 2, 3, 4 dias, e voltava como se nada tivesse acontecido. Resolvi perguntar qual era a dele e, além de não me responder, me bloqueou. Depois de um tempo descobri que ele tinha voltado com a namorada (tinham terminado fazia um mês).
A última estada no Tinder me causou mais prejuízos. Pq eu além de ter ido conhecer o cara pessoalmente, me apaixonei por ele. Antes de sairmos do mundo virtual ele parecia o cara perfeito pra mim, éramos muito parecidos. Apesar de ele não ter a beleza que a maioria das mulher procura, digo, aquele cara bonitao. Pra mim ele era muito bonito. Ele batalhou muito pra me ver, e quando começamos a nos encontrar não paramos mais até ele decidir que seríamos só amigos. Foram 8 meses de amizade, só de amizade pq eu já estava ficando com outra pessoa (mas acabamos brigando, e não deu certo) e quase 2 meses de namoro. E posso dizer que esses 2 meses não foram legais. Pq ele mudou muito comigo, era um cara atencioso, gostava de me agradar,dizia que estaria sempre comigo, e depois que começamos a namorar ele se transformou em algo totalmente diferente. Eu também mudei, com certeza. Eu me abri mais com ele sobre os meus problemas.
Relutei muito para não me envolver pq sabia que ele ia fazer a mesma coisa que os outros, mas ele parecia diferente. Pensei que fosse, mas não era. Ele só demorou mais pra fazer o que os outros fizeram mesmo. Nossos últimos dias foram uma merda. O cara me ignorava hard, mas dizia que não. Respondia seco. Só eu que não queria ver que tinha acabado mesmo. Durante esses quase dois meses, terminamos várias vezes, sei que isso não é caracteristica de um relacionamento saudável. Mas como eu gostava muito dele, tentava ignorar. Até que eu tive um problemão e ele encarou da pior forma possível, eu terminei com ele. Mas porra gostava do cara, e tentei reatar mas aí ele disse que não sabia se queria namorar.
Ele sugeriu voltarmos a ser amigos, mas não dá pra mim. Só depois que eu esquecer o que houve entre a gente, posso pensar na possibilidade. Pq acho que não o quero nem como amigo que foi o que ele parecia ser.
Moral da história: não tem moral da história. Você sempre terá a possibilidade de se decepcionar com alguém. A dica é nunca esperar muito das pessoas. Deixe que elas te surpreendam. Não tenho raiva do cara. Só triste por ele ter sido uma pessoa diferente depois de ter conseguido o que queria e decepcionada por ele não ter estado comigo num momento difícil.
Bom, daqui a pouco essa sensação ruim vai embora e ele será apenas uma vaga lembrança.
Agradeço quem leu tudo. É só mais um desabafo.
submitted by 99kyle99 to desabafos [link] [comments]


2019.04.20 15:33 Aragornson ESCOLHA DA PROFISSÃO. MEDICINA x CIÊNCIA DE DADOS

GALERA ANTES DE COMEÇAR O TEXTO , DESCULPEM PELOS ERROS DE COESÃO E GRAMATICA. REDIGI ESSE TEXTO NO CELULAR!
E ai amigos do Reddit. Estou em uma duvida cruel de qual carreira seguir e olha que já não sou tão novinho(27 years). Vou explicar minha historia para vocês.
Parte 1
Mudei para minha cidade atual a 7 anos atras com o intuito de estudar e trabalhar. Chegando aqui comecei a trabalhar na área de PCP(planejamento e controle de produção) a onde aprendi bastante Excel e gestão de dados usando ele(criação de dashboards e coisas do gênero). Empolgado com a área entrei na Federal aqui para no curso de Estatística(que é uma área que agregaria muito na área em que eu estava). Passou-se em tempo e mudei de empresa(na mesma área). Nesse meio tempo tive muitas experiencias negativas pois ainda era novato no PCP. Isso de certa maneira me "descrençou" um pouco. La na Estatística conheci o conceito de Bigdata analytics e fiquei fascinado. decidi que era a área que eu iria atuar. O único porem é que o curso estava muito puxado(ainda mais trabalhando). Vi que na federal daqui tinha o Bacharel em Gestão da Informação que era um curso de certa maneira voltado para a área de Ciência de Dados. Resolvi largar a Estatística e fazer GI. O porem é que o curso era integral e com o passar do tempo tive que abandona-lo por causa do trabalho(eu sempre me sustentei). Nesse período sai do PCP e fui para área de Inteligencia comercial de uma empresa(la aprimorei meu Excel e aprendi VBA). Agora vamos a parte dois da historia.
Parte 2
Desde pequeno sempre quis fazer medicina(não sei se era por causa do meu pai que ficava no pé ou não), porem como sou de cidade pequena e escola pública sempre fui forçado a acreditar que essas coisas não eram pra mim. Meu pensamento mudou um pouco quando mudei de cidade . Fiz outros cursos porem no fundinho com pensamento em med. Por ironia do destino conheci uma moça que estava acabando o curso de medicina e comecei a namorar com ela. Namoramos durante 3 anos e de certa maneira consegui acompanha tanto o final de faculdade dela como começo do mercado de trabalha. Fiquei muito próximo da profissão , o que disparou um gatilho e eu resolvi do nada que queria med. Era uma área massa e ganha muito bem. Parei um ano da vida para estudar(aos trancos e barrancos , estudar é muito difícil). Dai passei na UFMS do mato grosso do Sul. Fiquei um mês la e já voltei. O curso de la travou devido a falta de recursos da faculdade.
DUVIDA
Agora que estou de volta a minha cidade(a segunda) estou em duvida em qual área seguir. A carreira de cientista de dados me parece muito legal e recentemente ganhei o curso de Formação de Cientista de dados da Data science academy. O porem é que as vezes me acho velho para entrar nessa área , tendo em vista que vou ter que fazer uma graduação(possivelmente voltaria para Estatística). Fico com medo de não conseguir me enquadrar no mercado de trabalho. Como minha cidade é do interior aqui eles não pagam bem nessa área. Um Junior deve ganhar uns 3k(custo de vida aqui é bem mais barato do que uma capital). Por outro lado na medicina não preciso preocupar tanto com idade,porem são mais 1 ou ate mesmo 2 anos para entrar aqui (a concorrência é bem maior na UFMS) e mais 6 de curso. A vantagem é que por aqui o povo sai recém formado ganhando bem . Minha ex saiu ganhando 18k (trabalhava na saúde publica, Uais(plantões) e Ubs). Ela trabalhava muito , porem a remuneração e status social eram altos
Nao to sabendo identificar qual deles seria melhor para mim. Ainda me faltam elementos para tomar tal decisão. Eu sei que se hoje eu pudesse ficar por conta só de estudar ia fazer med. Porem eu preciso trabalhar e acho que talvez mesmo com o salario pouco inicial talvez em uns 6 o 7 meses arrume trabalho na área de analytics aqui. Meus pais falaram que se eu fizer medicina eles vão me dar uma ajuda financeira, porem só depois que eu passar.
E AGORA JOSE ??
submitted by Aragornson to brasil [link] [comments]


2019.04.20 14:39 Aragornson ESCOLHA DA PROFISSÃO. MEDICINA x CIÊNCIA DE DADOS

GALERA ANTES DE COMEÇAR O TEXTO , DESCULPEM PELOS ERROS DE COESÃO E GRAMATICA. REDIGI ESSE TEXTO NO CELULAR!

E ai amigos do Reddit. Estou em uma duvida cruel de qual carreira seguir e olha que já não sou tão novinho(27 years). Vou explicar minha historia para vocês.
Parte 1
Mudei para minha cidade atual a 7 anos atras com o intuito de estudar e trabalhar. Chegando aqui comecei a trabalhar na área de PCP(planejamento e controle de produção) a onde aprendi bastante Excel e gestão de dados usando ele(criação de dashboards e coisas do gênero). Empolgado com a área entrei na Federal aqui para no curso de Estatística(que é uma área que agregaria muito na área em que eu estava). Passou-se em tempo e mudei de empresa(na mesma área). Nesse meio tempo tive muitas experiencias negativas pois ainda era novato no PCP. Isso de certa maneira me "descrençou" um pouco. La na Estatística conheci o conceito de Bigdata analytics e fiquei fascinado. decidi que era a área que eu iria atuar. O único porem é que o curso estava muito puxado(ainda mais trabalhando). Vi que na federal daqui tinha o Bacharel em Gestão da Informação que era um curso de certa maneira voltado para a área de Ciência de Dados. Resolvi largar a Estatística e fazer GI. O porem é que o curso era integral e com o passar do tempo tive que abandona-lo por causa do trabalho(eu sempre me sustentei). Nesse período sai do PCP e fui para área de Inteligencia comercial de uma empresa(la aprimorei meu Excel e aprendi VBA). Agora vamos a parte dois da historia.
Parte 2
Desde pequeno sempre quis fazer medicina(não sei se era por causa do meu pai que ficava no pé ou não), porem como sou de cidade pequena e escola pública sempre fui forçado a acreditar que essas coisas não eram pra mim. Meu pensamento mudou um pouco quando mudei de cidade . Fiz outros cursos porem no fundinho com pensamento em med. Por ironia do destino conheci uma moça que estava acabando o curso de medicina e comecei a namorar com ela. Namoramos durante 3 anos e de certa maneira consegui acompanha tanto o final de faculdade dela como começo do mercado de trabalha. Fiquei muito próximo da profissão , o que disparou um gatilho e eu resolvi do nada que queria med. Era uma área massa e ganha muito bem. Parei um ano da vida para estudar(aos trancos e barrancos , estudar é muito difícil). Dai passei na UFMS do mato grosso do Sul. Fiquei um mês la e já voltei. O curso de la travou devido a falta de recursos da faculdade.
DUVIDA
Agora que estou de volta a minha cidade(a segunda) estou em duvida em qual área seguir. A carreira de cientista de dados me parece muito legal e recentemente ganhei o curso de Formação de Cientista de dados da Data science academy. O porem é que as vezes me acho velho para entrar nessa área , tendo em vista que vou ter que fazer uma graduação(possivelmente voltaria para Estatística). Fico com medo de não conseguir me enquadrar no mercado de trabalho. Como minha cidade é do interior aqui eles não pagam bem nessa área. Um Junior deve ganhar uns 3k(custo de vida aqui é bem mais barato do que uma capital). Por outro lado na medicina não preciso preocupar tanto com idade,porem são mais 1 ou ate mesmo 2 anos para entrar aqui (a concorrência é bem maior na UFMS) e mais 6 de curso. A vantagem é que por aqui o povo sai recém formado ganhando bem . Minha ex saiu ganhando 18k (trabalhava na saúde publica, Uais(plantões) e Ubs). Ela trabalhava muito , porem a remuneração e status social eram altos
Nao to sabendo identificar qual deles seria melhor para mim. Ainda me faltam elementos para tomar tal decisão. Eu sei que se hoje eu pudesse ficar por conta só de estudar ia fazer med. Porem eu preciso trabalhar e acho que talvez mesmo com o salario pouco inicial talvez em uns 6 o 7 meses arrume trabalho na área de analytics aqui. Meus pais falaram que se eu fizer medicina eles vão me dar uma ajuda financeira, porem só depois que eu passar.
E AGORA JOSE ??
submitted by Aragornson to brasilivre [link] [comments]


2019.04.15 04:28 olavodocaralho Você ai que está na faixa dos 25~30 anos e não está com a carreira estabelecida

Como faz para se relacionar com outras pessoas?
Tenho 28 anos e o que eu vejo são as garotas mais novas em busca de caras com a minha idade que já estão encaminhados na vida( O que não tem nada errado nisso)
Eu acho que até conseguiria arrumar alguns encontros no Tinder e enrolar as garotas até o 2° ou 3° encontro, o problema é que parece que nós somos definidos por quanto nós ganhamos.
Não ter dinheiro nunca foi um empencilho para eu me relacionar e namorar até alguns anos atrás, porém desde o ano passado quando terminei um namoro de 2 anos e meio (ela terminou), não consigo me ver me envolvendo com alguém novamente.
Tô com um corpo legal, por volta de 13% bf. Pretendo chegar aos 10% daqui uns 2 meses, até comprei ioimbina para auxilar. Tenho me apegado muito a minha estética, pois sinceramente é tudo que eu tenho para oferecer hoje( minha moeda de troca).
Fico me perguntando como as pessoas com emprego ruim ou sem emprego se relacionam depois que passa o período do colégio/faculdade.
Se você está nessa minha situação ou conheça alguém que esteja, eu ficarei muito grato em ouvir seu relato.
submitted by olavodocaralho to desabafos [link] [comments]


2018.05.09 02:57 porco-espinho A menina que mudou minha vida. (E ela provavelmente nem sabe disso)

Tô meio reflexivo nos últimos dias e também estou tentando melhorar minha escrita, então juntando o útil ao agradável, está saindo esse desabafo.
Antes queria falar sobre o que eu acho de mim mesmo, pra dar algum contexto. Acho que minha melhor qualidade é a falta de orgulho, e o fato que sou muito egoísta, sempre me coloco a frente de qualquer outra coisa ou pessoa. Juntando os dois eu acabo sendo alguém que sempre está do lado do time que está ganhando. Mudo de posicionamento e de opiniões como se fosse cueca, muitos me acham hipócrita, provavelmente estão certos. Também sou bom em influenciar pessoas, sempre consigo que as pessoas a minha volta, tenham as ideias que eu acho certas.
Com o contexto criado, vamos à história, tudo começou quando entrei no colegial. Eu odiava escola, sempre fui aquele aluno mediano, mas puxado pra zuera, não estava na lista dos três piores alunos da sala, mas meus pais tiveram que ir na escola algumas vezes. Desde o fundamental eu carreguei comigo um amor pela matemática, era minha matéria preferida, sempre ia bem nela (em física também), mas em todas as outras eu era uma aberração, sempre mendigando arredondamentos pra somar a nota mínima e passar de ano, recuperações e provas substitutivas eram parte do meu cotidiano.
A escola que eu estudava era grande, tinham várias turmas do mesmo ano, é era comum as turmas se comunicarem pra trocar trabalhos e tarefas. Em uma dessas, no meu segundo ano, acabei pegando o MSN da Luiza (nome fictício), uma garota de outra turma que tinha pego o mesmo tema que eu. Adicionei é fui pedir o trabalho para copiar, ela foi muito educada comigo mas negou, não me passou, nem deu uma desculpa, só falou que não ia passar e mudou de assunto. Fiquei meio perdido, não esperava aquilo, já tinha feito várias vezes e sempre conseguia no final, mas ela foi diferente, me deu várias dicas de como fazer o trabalho, mas não me deu ele pronto. Acabei tendo que fazer, não entregar ele significava que eu não teria mais chance alguma de passar direto naquela matéria.Depois disso, passei a conversar com Luiza frequentemente, as vezes na escola mesmo, mas normalmente pelo MSN, ela sempre me ajudava com algumas tarefas do gênero.
Nesse ponto eu preciso falar mais sobre Luiza, ela sem dúvidas estava no top3 das meninas mais bonitas do meu ano, mas ela namorava um cara do terceiro ano. Ela era a menina super dedicada, filha de um casal de professores, ela era a detentora do melhor boletim do ano, era a garota que todos os professores amavam. Totalmente certinha e perfeitinha é a melhor definição que tenho pra ela nesse momento. O tempo foi passando, e mantive esse contato com ela, aliás ela sempre me ajudava, quando eu realmente precisava fazer algum trabalho.
Românticamente meu segundo ano foi bem legal até, tive alguns rolinhos característicos dessa idade, mas nada sério, só ia levando. A coisa melhora logo depois que acaba o ano letivo. O terceiro ano vai fazer a tradicional viagem de formatura e o namorado de Luiza decide que queria aproveitar solteiro. No momento não passou nada pela minha cabeça, só segui minha vida e segui conversando com ela, mas agora as vezes as conversas se alongavam por horas e começaram a ficar mais frequentes.
Quando começou o terceiro ano eu tinha certeza, precisava me aproximar mais dela, era mina única chance. Mas eu não sabia como ela poderia se interessar por mim, eu era só o garoto que tinha problema com as notas, bom em matemática e viciado em jogos de PC e ela era perfeita.
Não tenho muito o que comentar nesse ponto, as coisas foram seguindo naturalmente, até que um dia, aconteceu e tentei beijar ela. Para minha surpresa, fui correspondido, e a Luiza me beijou de volta, foi o início do nosso namoro. Foi uma época mágica, eu realmente fiquei apaixonado por ela e me sentia correspondido. Ela melhorou minha vida em todos os aspectos, meu comportamento, minhas notas, minhas atitudes, minha responsabilidade, tudo influenciado por ela, eu já tinha mudado muito, mas ela ainda ia mudar muito mais em mim.
Mas com isso também vi o outro lado dela, o que antes eu achava uma menina brilhante, agora eu via uma menina dedicada. Ela não tinha facilidade nas matérias, mas sim estudava por incontáveis horas na sua casa, pra manter o nível de excelência. Realmente, não acho que nesses últimos 10 anos eu conheci outra pessoa tão dedicada quanto ela. Outro ponto importante é que é ela era muito sonhadora, com 17 anos ela já tinha a vida dela inteira programada, quando ia casar, quando ia ter um filho, quando ia trocar de emprego, realmente tudo, e eu estava inserido nesse sonho dela, mas eu via que claramente ela conseguiria fazer tudo aquilo sozinha.
Tivemos um ano incrível, terminamos o colegial juntos, tive notas de um aluno normal (e não de um idiota) até nossas famílias já se conheciam e se "gostavam", mas como todo recém formado, entramos pra faculdade. Eu fui fazer computação em uma faculdade da cidade e ela passou em um curso tradicional de humanas em uma faculdade na cidade vizinha. Como todo adolescente idiota eu conheci o mundo das festas da faculdade, primeiro semestre e eu estava sempre tentando ir pra festa, ela também entrou na onda, curtimos muito nos primeiros meses das nossas faculdades.
Só que eu precisava de mais, eu queria curtir aquilo ao máximo e nesse ponto Luiza passou a ser um problema pra mim. Não demorou muito pra tomar a decisão que eu precisava estar solteiro pra curtir aquilo ao máximo. Passei a colocar na cabeça dela que precisávamos terminar, pouco tempo depois tivemos o fatídico dia em que "juntos" chegamos a conclusão que seria melhor para os dois se terminamos. Mas a realidade é que eu já tinha todas as falas e todos os cenários programados na minha cabeça, só precisei fazer ela dizer as palavras, foi fácil eu conhecia ela muito bem.
Nesse momento eu sabia o que tinha feito e sabia que tinha trocado uma vida perfeita, com a menina perfeita e precisava fazer aquilo valer a pena, não importava o preço disso. Foi minha segunda era de ouro, eu curti muito, zuei muito, bebi muito, me droguei muito e segui a vida cheia de exageros. Sempre com o pensamento de que eu troquei a Luiza por aquilo, então eu precisava fazer valer a pena. Meus pais não são ricos, então pra sustentar meu estilo de vida, logo consegui um estágio em programação.
No estágio logo eu vi uma oportunidade pra ser efetivado, mas eu estava concorrendo com outros cinco estagiários, todos em anos mais avançados do que eu na faculdade. Nesse ponto o pensamento de Luiza sempre me voltava, eu precisava da vaga, pra provar pra mim mesmo que eu tinha feito a decisão certa. Em três meses de estágio fui efetivado, depois de muito estudar por conta é trabalhar praticamente o dobro do que era necessário. Levei muito a sério a ideia de Play Hard, Work Hard, essa era minha vida agora.
A história se repetiu mais algumas vezes, e tive uns ascensão bem grande em um curto tempo, tudo graças a Luiza. Nesse ponto ela passou a ser um ideal de vida pra mim, apesar de nunca mais ter tido muito contato com ela, era a lembrança de ter deixado ela, que me motivava à ir pra frente e pra cima. Eu queria provar pra mim mesmo que tinha feito a escolha certa.
Hoje já se passaram quase 10 anos desde que começamos a namorar, e vejo o quanto aquela menina me mudou e o quanto eu ainda colho frutos disso. Tive outros relacionamentos no caminho, mas nunca foram metade do que eu tive com aquela menina que não me ajudou com o trabalho de Geografia. Fui muito mais longe do que qualquer pessoa poderia imaginar, todo mundo sempre achou que eu tinha um dom ou algo especial, mas era bem mais complexo do que isso. Tenho hoje um salário maior do que um governador e participação em três empresas. Hoje Luiza já não é minha fonte de inspiração, mas sempre que dizer o quão importante ela foi na criação de tudo isso, na minha criação.
Desculpa, ficou muito longo, se alguém leu até aqui, obrigado mesmo! Digitei no celular então vou ainda dar uma re-lida e possívelmente editar alguns erros, mas todo e qualquer feedback será muito bem aceito.
Espero que você esteja feliz Luiza. Te desejo tudo de melhor, você é incrível.
submitted by porco-espinho to desabafos [link] [comments]


2017.09.25 21:45 botafora01 Sinto que a minha vida já está traçada

Desde já peço desculpas pela muralha e pelo throw away
OK, desde o Ensino Médio eu sofria com algo que eu imagino 90% do Reddit sofreu: não conseguia pegar sequer resfriado. Era extremamente zoado pela sala toda por isso (meus amigos até hoje dizem que eu sou o único da turma que nenhuma mulher chegou), cheguei até a apanhar por isso. Só fui perder meu BV no meu ano de calouro na faculdade e a minha virgindade quando fui num bordel. Eu ficava triste com isso, mas também estava esperançoso: afinal, era um adolescente, estava entrando na faculdade, e todos sempre me louvavam por, segundo eles, eu ser muito inteligente. A menina que eu gostava na época, e que até hoje é uma amiga (e que eu passei a maior vergonha da minha vida, ao me declarar pelo fucking MSN), vivia brincando dizendo "O nerd de hoje é o cara rico de amanhã". Boas memórias.
Chegou 2013, e eu entrei na faculdade. Não fui maravilhosamente bem no ENEM, mas consegui uma bolsa integral em Administração em uma bela universidade. Escolhi Adm por pensar que o mercado estava bom e por ser noturna, o que me permitiria trabalhar. Nesse período, perdi meu BV e fiquei com outra menina uma vez, num espaço de 9 meses. Pra mim, isso era o ápice, eu era o deus da conquista, mesmo que meus novos amigos me zoassem de "pega ninguém" do mesmo jeito. Nessa época, eu baixei o Tinder e conheci o meu primeiro namorico, vamos chamar de Ana. Ana morava a 3h30 de viagem, então era praticamente um namoro à distância. Ficamos algumas vezes, 3 meses depois começamos a namorar e, depois disso, ela passou o mês seguinte dando desculpas para eu não ir lá. Chegou fevereiro, veio o carnaval, e ela disse que estava passando mal. Foi para o hospital e detectaram leucemia. Óbvio que eu pirei, queria ir pro hospital dela de todo jeito, mas ela nunca deixava, dizia que os pais me viriam, iria arrumar encrenca, ela iria ver um momento que estivesse sozinha. Se passaram 5 meses nesse tormento, hora ela dizia que estava boa, hora dizia que estava mal, quimio e afins, até que meus amigos de sala fizeram uma intervenção comigo, mostrando que não havia nada em rede social nenhuma dela a respeito de câncer, mostrando que ela estava postando normalmente sobre coisas cotidianas e que era a maior retardadice do mundo eu não ter ido nenhuma vez ver ela. Eu fiquei meio balançado, até porque meus pais concordavam com este ponto de vista, mas fiquei meio irregular com ela. Pouco mais de um mês depois disso, ela disse que tinha tido alta, tinha encontrado um ex, tinha ficado com ele e queria terminar. Não lamentei muito, até porque isso ocorreu em um espaço de uma semana, no máximo. Terminei e, desde então, ouvi dela duas vezes na vida. Passou.
Vale mencionar que, nesse meio tempo, a minha vida em casa havia melhorado demais: durante meu período de Ensino Médio, minha adolescência se resumia a passar finais de semana com minha mãe em bares, vendo ela entrar quase em coma alcoolico com as amigas e outros finais de semana na casa do meu pai, vendo ele ficar bêbado e chorar no meu ombro sobre ele ser um fracassado que não conseguiu sequer manter um casamento. Quando eu terminei, minha mãe já estava mais centrada (como está agora), saindo ocasionalmente e socialmente, e meu pai parou de beber após enfartar e voltou a ser o cara extremamente trabalhador que eu sempre admirei. No fim do meu primeiro ano de faculdade, eu passei a estagiar em um instituto federal. Ao mesmo tempo do término que eu disse acima, eu fui chamado para um concurso temporário, em outro órgão público, bem mais perto de casa.
Poucos meses após eu terminar com a Ana, entrou em cena a pessoa que eu, de fato, considero como a única que eu namorei. Vamos chamar ela aqui de Beatriz. Beatriz me chamou no Facebook, para brincar sobre uma postagem que eu havia feito (já havíamos tido pequeno contato ainda no colégio), e daí começamos a conversar. Dois meses depois, ficamos e, 5 meses depois, começamos a namorar. Ela perdeu a virgindade comigo e, na prática, eu também perdi com ela (transei com prostitutas umas 4 vezes antes. Fiz exames, por precaução, e não deram nenhum reagente). Eu aprendi demais a me aceitar com ela, nós tínhamos a mesma personalidade, ela era a primeira pessoa que não só não me julgava por meus interesses, como me incentivava a seguir eles. Não me cobrava nada, eu não cobrava nada dela, mas conversávamos de forma quase ininterrupta das 7 até meia noite. Com ela, no entanto, eu descobri algo que já havia visto antes nos bordeis: não sei o que me causa, mas com certeza eu tenho ejaculação precoce. Fui em um urologista, que me disse que era algo psicológico, que eu só precisava "me desligar". Tentei os exercícios que o próprio Reddit indica, mas nunca funcionava. Usei camisinha anestésica 2 vezes: uma vez foi uma maravilha, na outra estourou e eu traumatizei. Sempre me sentia extremamente culpado e furioso comigo mesmo após cada fim de penetração, mas o que atenuava era a presença dela, que sempre me dizia que não ligava, que eu conseguia deixar ela no céu somente com as preliminares, que não ligaria de passar por isso por não sei quanto tempo. Tudo que eu me julgava errado, ela me mostrava que não ligava. Eu me sentia num porto seguro com ela, e isso me impulsionava na faculdade: eu imaginava que iria me formar em um emprego na iniciativa privada, sem "data de validade" como meu emprego temporário, e que, 1 ou 2 anos após isso, estaria casado com ela. O único motivo de discussão que tínhamos era que ela tinha total ojeriza de tornar público: não podia postar nada com ela no Facebook, não podia atualizar status de relacionamento, não podia ir conhecer os pais dela, que "iriam proibir completamente". Mesmo os amigos eu só vi 2 vezes (uma outra vez eu não pude ir por motivos profissionais). Eu sempre entendi que isso era um receio dela, então, mesmo um pouco frustrado, eu aceitava. No que eu terminei minha monografia, estava preocupado com a questão do mercado, mas nada demais. Até que veio o dezembro, 1 ano e 4 meses após começarmos a ficar.
Eu estava na faculdade, pegando os convites de formatura, quando ela mandou o tradicional "precisamos conversar". Resolvemos por texto mesmo: ela disse que gostava de outra pessoa, e que se sentia culpada namorando comigo com interesse em outro. Aceitei, triste, e demos um tempo. 2 dias depois, um amigo me manda uma foto no perfil de um rapaz, que era o mesmo que ela gostava: ambos deitados, ela de top e ele sem camisa, e uma descrição bem...insinuante. Óbvio que eu pirei, liguei para ela, tivemos uma baita discussão, mas, depois disso, esfriou. Acabamos nos vendo, e ficando de novo. Ela terminou com o rapaz, mas ainda jurava de pés juntos que aquela foto era uma coincidência, que ela não havia me traído, que jamais faria isso, que era íntegra. E ficamos uns bons 3 meses indo e voltando até que, em abril, ela me mandou um testamento contando tudo: numa segunda, ela estava na casa de uma amiga, com este rapaz e o cara que a amiga estava pegando. A amiga e o peguete dela começaram a dar uns amassos no local e, segundo ela, ela não conseguiu "resistir" e montou no cara. Uma traição espetacular, que até hoje eu uso como humor auto depreciativo. Fiquei em choque por um tempo, mas, contra os conselhos de todos, perdoei ela e voltamos a namorar. Mas não era a mesma coisa. Ainda era maravilhoso por um aspecto, mas, por outro, ela estava insegura com o relacionamento (dizia que se sentia culpada por ter "estragado tudo por um impulso") e eu estava inseguro com tudo, precisava de validação dela pra tudo, principalmente no que tangia sexo. Eu já era inseguro sexualmente antes, agora era 3x mais, então eu basicamente a induzi a me contar toda a experiência sexual dela com ele, até eu me sentir menos perdedor. No entanto, eu estava começando a me recuperar em junho, estava me reencontrando, entendendo que estava apertando ela desnecessariamente (uma amiga teve essa conversa esclarecedora comigo). Então, tanto como solidificação como um pedido de desculpas, eu planejei uma viagem para nós, no dia que ficamos pela primeira vez, que cairia num sábado. Disse para ela os planos, ela ficou elétrica, empolgada, começou a me mandar links do local, brincar com meus planejamentos e afins...e, na semana seguinte, pediu para terminar. Disse que nunca esteve certa sobre nós termos voltado, que ela ainda me amava, que ainda sentia tesão comigo, mas que não se sentia pronta para um relacionamento sério, e "não queria me magoar". Aceitei, até mantive o contato, pq, nesse meio tempo, ela virou a minha melhor amiga. Mas o mesmo amigo da vez anterior me mandou um print de uma conversa dela com a irmã dele, dizendo que tinha terminado por estar afim de outro cara, e eu reconheci o sujeito: era um cara que ela falava horrores bem dele, "ah, fulano fez isso, fulano fez aquilo, me ajudou com x, um cara foda, faz não sei o que". Não sei se ela me traiu, mas tal conversa era de 1 dia e meio após termos terminado, e ela já havia ficado com tal cara. Não sei se ela me traiu de novo, mas a confrontei (não falei do meu amigo, obviamente, disse que a vi na rua) e ela manteve que não me traiu, mas que, dessa vez, poderia ficar com quem quisesse pq "fez a coisa certa". Eu disse que não conseguiria conversar com ela enquanto ainda tivesse sentimentos, ela disse que entendia, mas que queria saber de mim, que eu ainda era "o melhor amigo" dela.
Isso faz um mês e meio. Eu não consigo deixar de me sentir mal. Eu podia ter feito tanta coisa melhor, mas não fiz. Ela me traiu, possivelmente duas vezes, e tudo que eu consigo fazer é me culpar. Eu só não a chamei ainda pq imagino ela ficando com esse cara, que é melhor que eu em tudo: mais bonito, com uma barba farta de lenhador, com uma carreira já estabelecida, carro na garagem, mora sozinho e afins. O que me leva ao lado profissional: a sala da faculdade se reuniu para um churrasco há 3 semanas, estávamos conversando sobre empregos e eu concluí algo: apesar de que eu (e eu sei quão arrogante isso soa) ter feito que metade da sala ganhasse um diploma, eu sou o único dali sem um emprego minimamente fixo e tenho um salário que é o menor de todos, com vantagem. Todos falam que eu vou ganhar 3k, 4k logo, mas eu já cansei de tomar portadas de empresas. Gasto com passagem, gastei com um terno novo, gravata, e tudo que eu consegui foram muito obrigados, mas uma parcela da minha sala que literalmente não consegue entender que 50% e 0,5 são a mesma coisa (eu tive que ensinar manualmente regra de 3 simples e cálculo com números decimais quando estudamos Matemática Financeira) estão em empregos bons na iniciativa privada, comprando casas e carros. E, de todos ali, só uma me arrumou entrevista na empresa dela (que eu não consegui, principalmente por dita empresa estar num processo de fusão). Quatro conversam ocasionalmente, e o resto só entra em contato pedindo para que eu faça para eles provas de inglês de processos seletivos ou provas da faculdade (para os que ainda não se formaram).
Eu estou fazendo Contabilidade agora, vendo se consigo recomeçar, mas estou extremamente desiludido. Não sei o meu problema, mas o que eu imaginava quando entrei na faculdade não aconteceu. Eu sou um total fracassado no mercado de trabalho, e dificilmente vou conquistar algo além de pular de trabalho em trabalho de escritório, para tirar 2 salários e soltar rojão de alegria por não estar desempregado. Na verdade, eu já imaginava algo nessa linha desde o último semestre, mas, além da esperança mínima, eu carregava que iria ter uma família. Alguém me aceitava, alguém me amava. Hoje, eu vejo que nem isso. Nesse mês e meio pós-término, eu percebi como meu stock está horrorosamente baixo. Ouvi diretamente de uma estranha (no Tinder, vale dizer) como eu sou "feio, com cabelo estranho e roupas deprimentes". A maior parte dos meus amigos disse que eu vou achar alguém, mas só uma amiga me apresentou para alguém (Spoiler: eu quis levar pra amizade pq esta pessoa demonstrou 0 interesse romântico em mim, mas temos muitas afinidades de gostos. Não quero que alguém legal se perca só por não querer abrir as pernas pra mim em qualquer futuro).
Então, qual a conclusão? Para relacionamentos, eu sou a tempestade perfeita: meus gostos não são nada pop, meu estilo de roupa desagrada geral, minha voz é deprimente, eu sou lerdo, distraído, amo entrar em rants gigantes quando me empolgo (vide este texto) e, mesmo que alguma garota um dia resolva passar por isso tudo, o prêmio dela será ter de viver com sexo oral recheado por 30s de penetração, num dia bom. Nenhuma mulher no mundo quer se relacionar com um homem que precise fazê-la ter um orgasmo com masturbação pq não aguenta chegar a 1min de penetração. Ou seja, eu até posso tropeçar em alguma peguete (sim, essa é a palavra, tropeçar. Um incidente do acaso, como foi com a minha ex), mas nenhuma jamais chegará a ser de longo prazo. Dificilmente eu terei uma família. E, sem uma família, não há nada para contrabalancear o fato de que eu sou um fiasco profissional. O "menino gênio" do colégio, o "cara que vai ganhar 7000 daqui 3 anos" da faculdade nada mais era que uma pessoa com um par de neurônios no meio de um grupo de pessoas com bases educacionais mais fracas que a minha e, principalmente, sem interesse algum em estudar. Numa sala focada, eu teria de me esforçar para estar no meio do pelotão. Eu sou mediano intelectualmente e, profissionalmente, sou um lixo que não conseguiu fazer networking na faculdade e, hoje, irá ter de viver de escritório em escritório, sem nenhum breakthrough.
Minha vida parece estar desenhada para ser a definição de um fiasco, de um total e completo desperdício de oxigênio. Mas eu tenho uma missão: cuidar dos meus pais. Ambos dependem demais de mim psicologicamente, ambos me amam mais do que qualquer outra coisa. Sem a minha presença aqui, a vida dos dois colapsaria. Sinto que eu só vim ao mundo para ser o pilar da vida de ambos. Então, eu tenho que ir empurrando a minha vida enquanto ambos estão vivos, tentando ao máximo não embaraçar eles mais. Decidi que vou viver a vida no limite nesse meio tempo: finalmente comecei a fazer academia (minha postura sempre foi torta e, nos últimos 2 meses, eu ganhei peso. Quero eliminar essa pança antes que ela vire um problema), fui ao Maracanã mês passado ver a ida da Copa do Brasil (sou de MG), devo receber uma indenização boa quando sair daqui e estou planejando um mês de curso de inglês na Europa (meu inglês é bom, mas não é perfeito e isso sempre me incomodou horrores, sem falar que conhecer a Europa é O sonho que eu tenho de vida). Será o meu maior highlight, e a única loucura que eu me permiti fazer. Quando voltar, vou fazer o que gosto e, mais importante, vou cuidar dos meus pais, de tudo que eles precisarem de mim.
Não sei o que o futuro reserva pra mim, mas, pensando com lógica, eu devo chegar nos meus 35/40 anos quando ambos meus pais falecerem. Quando isso acontecer, serei um solteiro entrando na meia idade, possivelmente com pouca experiência sexual que não envolva garotas de programa, num emprego pouco satisfatório e sem nenhum amor que tenha sido recíproco e que não acabe na mulher se cansando de um cara patético e percebendo que praticamente qualquer coisa é melhor que eu. Será covardia, alguns sentirão tristeza, mas será temporário, todos irão superar, e haverá um pouco mais de oxigênio no mundo.
A minha mente ainda tenta, em alguns momentos, achar alguns cenários de ilusão, de que algum milagre irá acontecer, mas não irá. Eu sei que não. Profissionalmente eu fracassei. Academicamente eu fracassei. E, amorosamente, eu também fracassei. Vi que não basta achar alguém que aguente a minha personalidade, ela não irá suportar alguém que trata preliminares como Evento Principal, e eu irei morrer com esta condição.
Por mais paradoxal que seja, pensando assim eu estou aprendendo a abraçar o que eu gosto. Eu gosto de ler. Eu gosto de sair para comer e voltar para casa. Eu gosto de esportes. Eu gosto de escrever. Eu gosto de viajar. Não vou mudar o que eu gosto pelos outros, até porque será inútil, resolver um sintoma não cura a doença, e não há remédios o bastante para curar todos os sintomas dessa doença chamada eu. Fico feliz pelos meus pais existirem, pq, se não fosse por eles, eu teria sido um fiasco absoluto em vida. Fico feliz pelo meu último namoro, pq eu nunca me senti mais feliz do que numa tarde de sábado, quando ela disse "te amo" pouco antes de cochilar no meu peito. Eu fui feliz com o amor, e, por causa dela, eu aprendi que todo relacionamento que eu entrar, obrigatoriamente, terá um fim unilateral. Eu vou ser feliz com meus outros desejos, concluir meus hobbies, fazer o que eu gosto, e cuidar de quem me ama incondicionalmente, até o fim deles. Dali, serei eu que terei meu livramento.
Eu precisava contar isso pra alguém, mas não quero que tratem isso como um pedido de ajuda, pq não é. Meu real objetivo de vida sempre foi ter uma família minha, ter um filho em uma casa estruturada e passar meu conhecimento adiante. Eu já sei que, por questões psicológicas e físicas, isso jamais acontecerá. Quando meus pais se forem, eu literalmente não terei mais o que fazer aqui e, se tudo der certo, eu terei realizado ao menos uma parcela boa dos meus outros sonhos. Eu estou tranquilo quanto a isso. Talvez ainda sinta, de novo, a dor de ver alguém me trocando por outra pessoa melhor, mas agora eu sei que isso acontecerá. Doerá menos, eu espero. E, se nem isso eu conseguir, bem...dois salários por mês dá para pagar por sexo.
De novo, desculpem pelo texto gigante.
tl;dr: Todos confiavam em mim, todos achavam que meu futuro seria brilhante. Meu futuro será medíocre, patético e, ao menos, tem uma data para acabar
submitted by botafora01 to desabafos [link] [comments]


2015.12.04 13:46 Riddle0219 [Serious] O que fazer com a minha vida?

Boas portugal. Escrevo isto porque verdadeiramente não sei o que fazer com a minha vida, nem sei como sobreviver minimamente bem, mesmo que tenha alguns objetivos gerais.
Sou um jovem de 21 anos, sexo masculino, fiz a escola e acabei o secundário com média de aproximadamente 17 valores no curso de línguas e Humanidades (Não me lembro do valor certo da média). Após isso, meti-me a tirar o curso de Direito numa pública, no qual já estou à cerca de 4 anos (4ª matrícula).
Fui para o curso porque achei que era uma boa escolha para quem esteve em Humanidades, e achei algumas profissões interessantes. Para quem não sabe, o curso de Direito é daqueles que começa com noções gerais e cadeiras que não são bem do curso (como introdução à economia) e depois progride para cadeiras mais jurídicas, cada vez mais específicas e difíceis. O que me aconteceu e que só reparei à pouco, foi que quanto mais o curso se torna jurídico (ou seja, mais "Direito") menos o suporto, e muitas cadeiras de que gostei, gostei por terem a ver com outras áreas - História do Direito pela parte histórica, Introdução à economia adorei, Direito fiscal pela parte financeira e Penal pela parte criminológica e não tanto legal. Cadeiras de direito privado (como direito civil, etc.) que são super importantes e muitos empregadores olham especificamente para elas e pedem as respetivas notas para escolherem quem contratar (até porque a média pode ser mais alta por causa de cadeiras inúteis, super fáceis que a sobem que todos os cursos tem), eu detesto e tenho, no máximo, um 11 ou 12 e raramente passo à primeira.
Resumindo e concluindo, passei excelentes momentos, sobretudo no primeiro mas também segundo anos de faculdade, até ia tendo algum interesse de vez em quando, ia estudando e fazendo as cadeiras todas, fui à queima, diverti-me, fiz bons amigos e passei bons momentos, mas no terceiro que é considerado o mais difícil e também muito importante porque tem cadeiras fundamentais para muitas profissões relacionadas com Direito e especialmente advocacia (como processo civil, obrigações, processo penal, por aí), desleixei-me, deixei de ir completamente às aulas e reprovei de ano, perdi bolsa porque só completei 40% das cadeiras (4 em 10) que não chega para ter os 36 créditos e renovar a bolsa de estudo.
Basicamente, eu menti aos meus pais à descarada e disse que só reprovei a três cadeiras, e pedi a bolsa entretanto, já sabendo que quando responderem não a vou ter. Os meus pais acham que eu vou acabar o curso e só tive um momento um bocado mau. Entretanto, tenho tentado ir às aulas mas cada vez mais acabo por sair a meio e ir para o café beber um café, estudar o código pois estou a tirar a carta, ler outros livros que não tem nada a ver com Direito ou mesmo jogar no tablet.
Eventualmente eles vão descobrir, e eu estou aqui, com o 12º ano, sem vontade de fazer o curso e com vontade de me tornar independente e trabalhar. NUNCA trabalhei, mesmo em part-time por baixo da mesa, e estou neste momento a fazer o meu CV e irei enviar currículos para sítios onde possa trabalhar (aceito tudo menos trabalhar nas obras porque, verdade seja dita, sou um gajo com pouca força e destreza física).
Para tornar mais fácil o que quero ao certo, aqui estão pontos importantes:
submitted by Riddle0219 to portugal [link] [comments]


QUAL A IDADE CERTA PARA NAMORAR? - Cristão Declarado - YouTube QUAL É A IDADE CERTA PRA NAMORAR ? - YouTube Idade para namorar! QUAL A IDADE IDEAL PARA NAMORAR!? Qual a idade certa para se começar a namorar? - YouTube EXISTE IDADE CERTA PARA NAMORAR? EU TENHO IDADE PARA NAMORAR ? Qual é a idade CERTA pra começar a namorar? CRIANÇAS PODEM NAMORAR? COM QUE IDADE VOCÊ PODE NAMORAR ... #026 - Qual é a idade certa pra namorar?

Existe a idade certa para começar a namorar? O POVO

  1. QUAL A IDADE CERTA PARA NAMORAR? - Cristão Declarado - YouTube
  2. QUAL É A IDADE CERTA PRA NAMORAR ? - YouTube
  3. Idade para namorar!
  4. QUAL A IDADE IDEAL PARA NAMORAR!?
  5. Qual a idade certa para se começar a namorar? - YouTube
  6. EXISTE IDADE CERTA PARA NAMORAR?
  7. EU TENHO IDADE PARA NAMORAR ?
  8. Qual é a idade CERTA pra começar a namorar?
  9. CRIANÇAS PODEM NAMORAR? COM QUE IDADE VOCÊ PODE NAMORAR ...
  10. #026 - Qual é a idade certa pra namorar?

vVIDEO SOBRE NAMORO https://www.youtube.com/watch?v=Va-8MkUy_qM VIDEO SOBRE NAMORAR AOS 12 ANOS https://www.youtube.com/watch?v=Qtsq5vz8Xr0 CONTATO PARA PARC... Deconstructing White Privilege with Dr. Robin DiAngelo - Duration: 20:02. General Commission on Religion and Race of The UMC 115,505 views O vídeo de hoje é um Bate Papo sobre a infância e a adolescência. Falei sobre namoro, com que idade a criança pode começar a namorar, como fazer os pais acei... Nesse video conto a Historia de uma adolescente que sofria de amor e que hoje passa bem Queria te pedir um favor, se você assistir esse video, me conta se gostou ou não? quero muito seu feedBack ... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Para todos os adolescentes que tem dúvidas sobre a idade em que devem iniciar um relacionamento, ou que tem(teve) problemas em seu relacionamento atual ou pa... Poderoso efeito borboleta para elevar a vibração e limpar positivamente sua aura - Butterfly Effect - Duration: 3:03:03. Visualize Recommended for you 3:03:03 • - SE INSCREVA e ativa as notificações para não perder nada! ♥ - • Me siga nas Redes Sociais! • INSTAGRAM http://instagram.com/alanacristaodeclarado https Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Eclesiastes 3:1 Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, pelas gazelas e cervas do campo, que não acordeis, nem ... Olá amores, aqui converso um pouco com vocês em relação a namoro! Se gostou clique no GOSTEI, INSCREVA-SE NO CANAL e COMPARTILHA ♥♥ Post no blog: em breve. I...